Sexo na gravidez: benefícios para a mãe e o bebê

Compartilhe!

A gestação ainda é um período envolto em mitos e dúvidas, inclusive se sexo na gravidez é benéfico. É que nessa fase o corpo passa por diversas transformações e a gestante por um turbilhão de emoções. Nesse cenário, uma das dúvidas frequentes das futuras mamães é quanto a prática sexual durante a gravidez faz bem.

“Muitos casais ainda têm receio de fazer sexo na gravidez. No entanto, se for uma gravidez normal, sem complicações ou riscos, o sexo é seguro, liberado e recomendado. Muitas pesquisas já mostraram que as relações sexuais são bem-vindas na gravidez, tanto fisicamente quanto emocionalmente”, comenta Renato de Oliveira, ginecologista responsável pela área de reprodução humana da Criogênesis. Para as futuras mamães que ainda tem dúvida ou receio em ter relações sexuais com o parceiro durante a gestação, o especialista separou cinco benefícios da prática durante os nove meses.

Sexo na gravidez - benefícios

5 benefícios do sexo na gravidez

 1 – Ter relações sexuais durante a gravidez fortalece os músculos do períneo, que são essenciais na hora do parto.

 2 – Traz benefícios emocionais. Durante gravidez, o corpo passa por diversas transformações e a gestante por muitas emoções, o que pode aumentar a tensão e o nervosismo. Dessa forma, além de renovar o vínculo do casal, manter a vida sexual ativa traz à mãe mais segurança e autoestima.

 3 – Previne a pré-eclâmpsia. Estudo realizado na Universidade de Adelaide, na Austrália, revelou que mulheres que têm relações sexuais pelo menos três meses antes de parir apresentam menores riscos de desenvolver pré-eclâmpsia (hipertensão gestacional). De acordo com os pesquisadores, o fluído seminal do homem contém pequenas moléculas que induzem o sistema imunológico da mulher. Isso faz com que a implantação do embrião no útero e a formação da placenta ocorram de maneira saudável.

Sexo na gravidez - benefícios

 4 – Aumenta o prazer. Na gestação, a lubrificação da vagina aumenta, assim como o volume de sangue do organismo, o que deixa o corpo mais sensível à excitação. Esses fatores deixam as relações íntimas mais prazerosas e ampliam a quantidade e a qualidade dos orgasmos.

  5 – Não machuca o bebê. O feto não é prejudicado com o ato sexual, pois a membrana protetora que sela a cervix ajuda a protegê-lo. Além disso, o saco amniótico e a musculatura uterina também o protegem. Durante um orgasmo, o bebê pode mexer-se mais vezes. Isso acontece devido ao fato da mãe sentir-se bem e, consequentemente, o mesmo acontece com o feto.



Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *