Traição feminina: motivo pode ser rotina sexual

Compartilhe!

Diversas pesquisas ao longo dos anos procuraram encontrar os motivos que levam homens e mulheres à traição. Segundo os estudos, uma das principais motivações das mulheres para a infidelidade é a vingança. Outras razões apontadas pelas pesquisas são o fato de não se sentirem mais amadas. Além da carência afetiva, a insatisfação sexual e com a vida conjugal.

“Porém, atualmente, o que se vê na prática clínica é um pouco diferente do que as pesquisas mostram. Há mulheres que têm casamentos ótimos, que dizem amar seus maridos, mas que buscam na traição uma fuga da monotonia sexual, assim como uma forma de ter mais romance e paixão em suas vidas”, comenta a psicóloga Marina Simas de Lima, terapeuta e cofundadora do Instituto do Casal.

E a percepção da psicóloga corrobora com os dados de uma pesquisa feita com 100 mulheres casadas, entre 35 e 45 anos, inscritas no site AshleyMadison.com, voltado para pessoas casadas que desejam uma aventura extraconjugal. Segundo o estudo, 67% das entrevistadas buscavam paixão, romance e sexo. E nenhuma delas estava pensando em se divorciar do marido. A pesquisa mostrou, portanto, que para essas mulheres ser feliz no casamento é diferente de ser feliz na cama.

Traição feminina - monotonia sexual - casal

Traição feminina aumentou?

“Depois da invenção da pílula anticoncepcional, houve uma abertura maior para a igualdade de gênero quando o assunto é infidelidade. A mulher hoje tem mais autonomia e independência financeira e as oportunidades de ser infiel, que antes se apresentavam mais aos homens, acabam por fazer parte dos cenários femininos na atualidade”, diz Marina.

Para a psicóloga Denise Miranda de Figueiredo, terapeuta e cofundadora do Instituto do Casal, a infidelidade é algo complexo e cada pessoa terá uma motivação diferente para justificá-la. “Trair sempre será uma questão de escolha, independente da razão ou justificativa dada”. Para as especialistas, a ideia do amor romântico e da paixão não é uma realidade na vida a dois, o tempo todo. “A intimidade, a sexualidade, o erotismo e as fantasias precisam ter espaço dentro do casamento e quanto mais o casal investir nisso, mais conectado estará”, comentam.

O fato é que, infelizmente, as pessoas não são educadas ou orientadas sobre a vida sexual ou sobre o que esperar da vida sexual no casamento. Muitos casam pensando que o ritmo, a paixão e o romance irão durar para sempre. Essa expectativa pode ser frustrante e ser usada como justificativa para a infidelidade”, diz Denise.

Casamento, sexo e romance combinam?

A primeira dica das especialistas é ter um bom autoconhecimento sexual. “Tanto o homem quanto a mulher precisam se conhecer, entender o que lhes dá prazer, do que gostam. Depois, a comunicação do casal precisa ser boa. Ambos precisam saber se expressar quando o assunto é intimidade, sexo e afetos. E claro, como última dica, a paixão dos anos iniciais pode até desaparecer, mas o romance pode e deve ser alimentado por ambos”, dizem Marina e Denise.

Nunca é demais lembrar o que aproximou este casal, quais eram os comportamentos românticos que faziam o outro feliz. Certamente, se houver vontade de ambos, é possível resgatar a relação e reviver os bons momentos. Mas, para isso é preciso dedicação e investimento”, finalizam as psicólogas.



Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *