Peeling pode ser aplicado no couro cabeludo

Compartilhe!

Mais indicado para amenizar marcas e manchas na pele, o peeling também pode ser aplicado no couro cabeludo. Na pele, sua finalidade é remover células mortas e suavizar as alterações decorrentes do envelhecimento da pele. Contribui em seu aspecto saudável e a melhora da sua aparência. Na área capilar, o peeling ajuda a remover as células mortas do couro cabeludo, a reduzir a oleosidade excessiva e a tratar a seborreia e escamações.

“Assim como a pele facial, o cabelo também é continuamente submetido à ação de agentes externos, como poluição, raios solares e produtos cosméticos. Todos eles influenciam na saúde e aspecto do cabelo. Mas quando a higienização do couro cabeludo é feita de forma adequada, o resultado é percebido diretamente na qualidade do fio de cabelo. Esse ritual de limpeza da área pode contribuir com quadros de descamação importantes”, garante a dermatologista Bel Takemoto.

Peeling: como funciona?

“Para este procedimento, são utilizados produtos específicos. Eles possuem ação bactericida sobre o couro cabeludo. Esfoliando, limpando superficialmente e removendo resíduos de cosméticos, poluição, excesso de oleosidade e seborreia. O resultado é um cabelo livre de resíduos, leve, flexível, com mais vitalidade e brilho”, revela a médica.

Será que peeling do couro cabeludo favorece a haste capilar prejudicada pelo sol? A dermatologista é enfática ao afirmar que o cabelo ressecado sofreu com agressões ambientais, químicas ou mecânicas. Portanto, é mais danificado. “Esse problema é clássico e é causado pela combinação fatal sal + sol + cloro. É necessário aplicar cosméticos que contenham em sua formulação ativos de hidratação para começar a repor os nutrientes necessários”, orienta a especialista.

“Porém, se durante o procedimento a esfoliação capilar forem aplicados produtos hidratantes, o tratamento ajuda a diminuir aquele aspecto de cabelos secos. Com este método, também é possível atuar em casos em que há descamação como dermatite seborreica. Mas é fundamental que o dermatologista avalie e indique ou não tal procedimento, pois existem indivíduos que possuem o couro cabeludo sensível”.

Peeling pode ser aplicado no couro cabeludo - Clube das Comadres 4

Quem pode fazer

O peeling do couro cabeludo pode ser indicado após a avaliação do dermatologista. É para quem tem cabelos oleosos refratários ao tratamento convencional, com caspa ou como um preparativo a outros tratamentos. De acordo com a especialista, a frequência é variável e depende da necessidade de cada paciente. E pode ser coadjuvante de outras terapêuticas.

Já em relação aos princípios ativos dos cosméticos capilares destinados para a realização do peeling, Bel Takemoto explica que eles variam conforme o quadro clínico. São, geralmente, ácidos já consagrados para uso na face, mas em concentrações menores e desenvolvidos com vetorização ou nanotecnologia. “No entanto, esse tratamento jamais deve ser feito quando existem feridas, lesões ou acne no couro cabeludo. Pode agravar o problema”, garante a dermatologista.

A estrutura do fio capilar

Para entender como o bulbo capilar reage ao acúmulo de impurezas deixadas por agentes externos, é necessário conhecer a estrutura do fio de cabelo. Ele é formado por duas partes distintas e com característica peculiares. “A primeira parte fica dentro da pele (raiz) e a segunda fica fora, ou seja, o fio em si. É por meio da corrente sanguínea que chegam na papila e no bulbo os nutrientes necessários para o desenvolvimento do fio”, explica a médica.

“Quando ocorre o acúmulo de resíduos cosméticos, de poluição ou mesmo o excesso de oleosidade no couro cabeludo, por falta de uma higienização adequada, a soma desses elementos pode causar inflamações, como a dermatite seborreica, conhecida como caspa. Além disso, também pode apresentar coceira, descamação, quebra”, continua a especialista.O estresse é outro fator que desacelera o crescimento do cabelo. Ele promove o estresse oxidativo, causando os indesejáveis fios brancos. Além desses fatores, algumas alterações hormonais e doenças crônicas também podem impedir o crescimento capilar. Por isso é importante procurar um médico especialista em caso de queda acentuada ou de estagnação no crescimento dos fios”, finaliza a dermatologista.

Veja também:

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *