Moda digital: dicas para crescer e empreender

Compartilhe!

Moda digital é um dos temas abordados na Imersão Fashion, que acontece nos dias 28, 29 e 30 no Expocenter Norte, em São Paulo. É um projeto idealizado por Dany Padilla, fundadora da Escola de Estilo e especialista em moda & marketing pessoal/empreendedorismo & vendas.

Portanto, se você trabalha com moda digital e quer impulsionar suas vendas, Dany Padilla revelou 4 dicas exclusivas para o Clube das Comadres que podem ajudar no seu negócio. Sendo assim, está pronta para dominar o assunto e arrasar nas vendas?

Moda digital - empreendedorismo - vendas

Moda digital: tenha autoridade

1-Tenha credibilidade na rede.

Não aceitar somente depósito à vista. Aceite cartões de crédito, PagSeguro, gates de pagamento, etc. Quem vende muito barato e à vista via boleto bancário perde a credibilidade. Portanto, logo, perde venda também.

Por isso, é preciso se mostrar. Mostrar o seu dia a dia, fazer stories no Instagram, mostrar envio de produtos para as clientes. Além de pedir para que essas clientes mostrem também o que ganharam da sua marca e marcar o perfil na rede. Tudo isso mostra a entrega do produto. Ter um site é legal, apesar de que o Instagram/Whatsapp também se tornaram um ambiente digital de vendas.

2. Facilidade de entrega para o cliente. Como fazer?

Quase ninguém escreve a grade, a centimetragem da peça. Então, o consumidor sente muita insegurança na hora de comprar. As dúvidas “será que isso cabe em mim?”, “será que isso é legal” são comuns. Por isso, coloque os tamanhos certos das roupas.

Utilize a logística reversa. Faça um contato com os Correios e escolha um serviço de frete de retorno de produto gratuito, o que vai dar mais segurança para o cliente. Ele compra a peça e tem a possibilidade de troca, caso não goste ou não fique bem.

Moda digital - empreendedorismo - vendas

3. Cuide de como você aparece na rede.

Quantas vezes as pessoas postam fotos da peça na rede e dizem que não conseguem vender? A verdade é que as pessoas não compram peças e sim objetos de desejo. Então, como fazer a peça se tornar um objeto de desejo? É importante mostrar em quais ocasiões a consumidora vai sonhar em ter a sua roupa, como em um encontro com um pretendente. Por exemplo: mostrar a pessoa em um fim de tarde, num barzinho, em um lugar legal.

Vale lembrar que fotos de boa qualidade são essenciais. Existem vários aplicativos na internet que podem ajudar a tratar a foto. O Instagram é uma rede de imagens e quanto melhor se tornarem, melhor a possibilidade de vender o seu produto. Como o Instagram permite postagem de múltiplas fotos hoje, é viável colocar uma foto da peça específica para perceber os detalhes.

4. Aprenda a gerar engajamento na rede.

O engajamento na rede vem através de conteúdo relevante. Não é só postar uma foto ou um look bonito para vender desejo. O Instagram entende que quanto mais as pessoas curtirem ou comentarem determinado post, mais ele vai mostrar para outras pessoas de forma orgânica. E como fazer isso com foco na venda? Se tenho uma roupa ou peça que serve para determinado corpo “pera”, posso mostrar várias formas diferentes de usar a peça neste corpo e perguntar qual o look a pessoa mais gosta para votar.

Ou dar dica, como “peça utilizada para pessoas com corpos avantajados”, “como utilizar essa peça em pessoas que possuem ombros largos?”. E assim aumentar a possibilidade de pessoas comprarem essas peças. Sempre engajando através de conteúdo. Criar uns dois ou três looks diferentes para a mesma peça também desperta engajamento. Short de paetê; look dia e look noite. Qual se identifica mais? Curta, comente e compartilhe com sua amiga.



Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *