Pet São Paulo, programa de políticas públicas

Compartilhe!

O governador Márcio França lançou nesta segunda-feira, 18, o Pet São Paulo, primeiro programa estadual de apoio aos municípios em ações e políticas públicas em defesa dos animais domésticos – cães e gatos. Para coordenar os trabalhos com as prefeituras, será criada a Subsecretaria de Defesa dos Animais. Órgão vinculado à Casa Militar do Estado.

“Quando a sociedade começa a ter muita gente fazendo isso, é porque está na hora do governo reconhecer de maneira institucional. Daqui para frente teremos uma secretaria, um telefone, veículos, polícia. Tudo o que tem na defesa civil vai ter na defesa animal”, disse o governador. “Quem sabe São Paulo não orienta todo o Brasil a fazer igual pela vida dos animais, especialmente esses que vivem com a gente e acabam tendo tanta afinidade e são como da família”, avaliou.

Pet São Paulo - dr pet - governador - marcio frança
Governador Márcio França se diverte com os animais na cerimônia de lançamento do Pet São Paulo. Fotos Divulgação

Pet São Paulo: estímulo aos municípios

A subsecretaria será responsável por coordenar o Sistema Estadual de Defesa dos Animais (SIEDA). É um comitê gestor intersetorial. Responsável por realizar e apoiar projetos e ações de proteção de cães e gatos em todo o território paulista. “As pessoas que acreditam que os cães são parte da sociedade vão ter agora, com esse programa, o aval de que são mesmo. Eles têm direitos”, comentou Alexandre Rossi após participação no evento com seus famosos pets, Estopinha e Barthô.

O programa incentivará os municípios na realização de feiras de adoção. Além de capacitações, campanhas educativas sobre guarda responsável de cães e gatos. Além de firmar convênios para apoio à castração e à microchipagem. O município que aderir ao programa receberá o Selo Pet São Paulo, sendo atestado parceiro na proteção destes pets.

O Pet São Paulo nasceu da preocupação com os casos de maus tratos aos animais domésticos. E também da necessidade de uma cultura de prevenção contra atos de agressão. Além do interesse do governo em integrar os órgãos públicos estaduais com os municípios, organizações e a comunidade.



Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *