Profissões em alta e em baixa neste 2017 de crise

Compartilhe!

Você sabe quais profissões investir e das quais desistir? O ano começou com recorde no número de desempregados no país: cerca de 11,5% brasileiros estão fora do mercado de trabalho, segundo os dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Mas apesar do cenário marcado por incertezas, 2017 será promissor para profissionais com conhecimentos de diferentes áreas do processo de produção ou serviços, capazes inovar e gerar negócios.



Essa é a avaliação da Wyser, empresa de recrutamento e seleção para média e alta gerência, da multinacional de recursos humanos Gi Group. A demanda do mercado é praticamente a mesma em relação ao ano passado. “As médias e grandes empresas continuam buscando profissionais mais especializados, com sólida formação acadêmica e domínio do inglês e outros idiomas. Além da habilidade para detectar oportunidades de crescimento tanto internamente como no exterior”, afirma Fábio Nogueira, diretor da Wyser.

Na avaliação da Wyser, neste ano os segmentos mais favoráveis para carreira são o varejo, serviços (especialmente de tecnologia), as indústrias de bens de consumo e farmacêuticas. Com base na pesquisa de mercado realizado ao longo do ano, a empresa listou dez profissões mais promissoras para 2017.

profissões-em-alta-e-em-baixa-neste-2017-de-crise-clube-das-comadres1
Conhecer as profissões em alta e em baixa ajuda a direcionar sua carreira neste momento de crise.

Profissões em alta

Gestor de logística

Hoje, as companhias têm como desafio garantir a entregar seus produtos com agilidade e qualidade em todo território nacional. Com a falta de infraestrutura de transporte, as empresas precisam contar com especialistas com visão mais completa do processo de logística. Aqueles que saibam gerenciar com eficiência o transporte de mercadorias. E também traçar estratégias mais rápidas e econômicas para transportar os produtos.

Especialista em mídias sociais

Cada vez mais as redes sociais são um canal por excelência para se relacionar com os consumidores e parceiros comerciais. Além de importantes fontes de informações do mercado. Para explorar ao máximo esse recurso, as empresas estão investindo em experts que saibam organizar e utilizar a base de dados, analisar movimentação e acessos na página e criar estratégias para impactar suas marcas e serviços no público-alvo.

profissões-em-alta-e-em-baixa-neste-2017-de-crise-clube-das-comadres2
Especialista em mídias sociais é uma profissão super em alta no momento.
Pesquisadores

A necessidade de criar produtos e soluções inovadores tem tirado pesquisadores dos laboratórios. A demanda por profissionais com sólida formação acadêmica e com alto grau de especialização, com habilidade para transformar trabalhos científicos em negócios vem crescendo ano a ano. Entre os principais mercados estão as indústrias farmacêuticas, química, de materiais e bens de consumo.

Tesoureiro

As empresas continuam buscando profissionais que ajudem a encontrar soluções para melhorar a sua lucratividade. Neste ano, deve continuar em alta a demanda por tesoureiros que entendam de operações financeiras, como também tenham experiência sólida em gestão e captação de recursos no Brasil e no exterior.

Gerente de planta

Apesar do desemprego na indústria, a procura pelo profissional número 1 da planta continua em alta. As empresas buscam profissionais que tenham a visão do trade, de gestão de pessoas, de produção e logística, para produzir mais e com menos custo.

profissoes-em-alta-e-em-baixa-neste-2017-de-crise-clube-das-comadres-5
Trabalhar com comércio exterior é a certeza de que o emprego está garantido.
Especialista em comércio exterior

No Brasil, são poucos os profissionais de comércio exterior com inglês fluente e domínio de outro idioma. O mercado procura por pessoas com especialização no exterior, tenham sólido conhecimento em operações aduaneiras, infraestrutura de logística nacional e internacional, habilidade para firmar parcerias comerciais fora do país.

Especialista em precificação

O varejo procura profissionais que possam avaliar e definir o preço certo, para garantir giro dos produtos e receita para empresa. São especialistas com conhecimento do mercado, que saibam gerenciar os preços de acordo com o estoque, validade do produto e demanda em diferentes épocas do ano.

Advogado tributário

A oportunidade de carreira vem crescendo com surgimento de startups; Especialmente nas áreas de tecnologia e financeira, que estão conquistando espaço com serviços inovadores e precisam de um consultor especializado, para dar orientações sobre a legislação do mercado, garantias ao consumidor, modelos de contrato, tributação e gestão fiscal.

profissoes-em-alta-e-em-baixa-neste-2017-de-crise-clube-das-comadres-6
Faltam profissionais na área de engenharia elétrica de energia renovável.
Engenheiro eletricista de energia renovável

Há uma carência de profissionais especializados em energias renováveis, principalmente a eólica. A profissão promete ser a bola da vez nos próximos anos com investimentos crescentes em novas matrizes energéticas.

Gerente comercial

O setor de serviços, especialmente de tecnologia da informação, tem investido em talentos para encontrar novos mercados e soluções para continuar movimentando os negócios. A preferência é por profissionais qualificados, comprometidos com a empresa e experiência sólida no mercado.

Carreiras em baixa

Refletindo o atual cenário político-econômico do país, profissões ligadas à indústria pesada, mineração e da construção civil continuam sendo as mais afetadas. Veja quais são as carreiras com menos oportunidades no mercado em 2017!

profissoes-em-alta-e-em-baixa-neste-2017-de-crise-clube-das-comadres-7
O número de vagas para geólogos vem caindo nos últimos anos.
Geólogo

A queda na demanda por geólogo vem caindo nos últimos anos. E continuará em baixa devido à crise na construção civil e indústria pesada, que estão consumindo menos matéria-prima para produção de veículos.

Engenheiro de minas

Assim como geólogo, a carreira de engenheiro de minas sofre o impacto direto da retração do mercado de mineração, em função da crise na indústria pesada e a queda na cotação dos preços dos minérios de ferro e aço.

Engenheiro mecânico

A queda nos investimentos na indústria automotiva e na indústria siderúrgica vem provocando muitas demissões e reduzido a demanda por esses profissionais no mercado.

profissoes-em-alta-e-em-baixa-neste-2017-de-crise-clube-das-comadres-8
Engenharia civil também é uma profissão em baixa em tempos de Lava Jato.
Engenheiro civil

A demanda por esses profissionais vem sofrendo baixa desde o ano passado. E continuará em queda com a desaceleração do mercado imobiliário e das obras públicas com a operação Lava Jato.

Engenheiro naval

A crise no setor de óleo e gás praticamente estagnou a encomenda de embarcações de grande porte.

Engenheiro de petróleo

A baixa da categoria está relacionada à crise das companhias petroleiras, que impactou diretamente nas bacias de Macaé e Campos. E ainda tem adiado novos investimentos no setor.

profissoes-em-alta-e-em-baixa-neste-2017-de-crise-clube-das-comadres-12
A engenharia metalúrgica perdeu espaço no mercado de trabalho.
Engenheiro metalúrgico

Assim como engenheiro mecânico, o engenheiro metalúrgico perdeu espaço com a retração das grandes montadoras, das indústrias de autopeças, siderúrgicas e de refratários.

Engenheiro de produção

A queda na demanda é puxada pelo setor automotivo.

profissoes-em-alta-e-em-baixa-neste-2017-de-crise-clube-das-comadres-13
Com a desaceleração no ritmo das obras públicas, uma das profissões em baix de engenheiro ambiental entra numa fase delicada.
Engenheiro ambiental

A demanda por profissionais da área continuará em baixa neste ano, principalmente devido à desaceleração no ritmo das obras públicas, que acabam reduzindo o número de projetos de licenciamento ambiental, e dos investimentos em projetos sustentáveis.

Economista

Fechamento de pequenas corretoras de ações e a incorporação dos médios bancos pelas grandes instituições financeiras nos últimos anos. São motivos que vêm provocando desemprego na categoria.



Veja também:

Compartilhe!

Um comentário em “Profissões em alta e em baixa neste 2017 de crise

  • 19/10/2017 em 9:25 AM
    Permalink

    Muito bom o artigo. Parabéns!
    Eu trabalho fazendo divulgações online em casa. Inicialmente era uma renda extra, hoje é minha principal atividade e que me rende mais do que quando estava no mercado formal e me tirou do desemprego.Se quiser conhecer acesse: https://www.frpromotora.com/45498818
    ou chame no whatszap (31)9 9100-0723

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *