Mulheres na T.I: nomes que vale a pena conhecer

Compartilhe!

Uma das propostas da minha coluna aqui no Clube das Comadres, é resgatar a história das mulheres na tecnologia. E não sei vocês, mas isso me dá um orgulho danado de bom! ? Comecei falando da Ada Lovelace, a primeira programadora da história. Mas tem muito mais colaboração feminina no universo da tecnologia. Vamos reverenciar algumas?

Mulheres: de freira à almirante da marinha

Porque vamos combinar… uma mulher não pratica só uma função, não é? Então vamos começar com uma das mais diferentes, a Irmã Mary Kenneth Keller. Sim, ela era uma freira ?

A irmã Keller se formou em 1965 na Universidade de Washington, em St. Louis, nos Estados Unidos. É considerada a primeira mulher a receber um doutorado em ciências da computação. Ela foi uma das criadoras do Basic, uma linguagem de programação, escreveu quatro livros sobre computação e programação (que são referências até hoje). E uma das primeiras vozes pela inclusão das mulheres no ramo da informática. É pouco? Ela ainda é nome do Centro de Ciências da Computação da Universidade de Clarke, no Iowa e nome da bolsa de estudos para o curso de computação.

irmã Mary

Não disse que a gente não se contenta em ser uma coisa só? A Grace Hopper, foi uma das criadoras do Cobol, linguagem de programação para banco de dados e da linguagens de programação para o UNIVAC (primeiro computador comercial americano). Primeira mulher a se formar na Universidade de Yale, nos Estados Unidos, com PhD em matemática, e a primeira almirante da marinha dos EUA. Reza a lenda que ela também criou o termo bug (muito usado na computação) ao tirar uma mariposa de dentro de um computador e falar em “debugging”, remover um inseto, ou seja corrigir falhas.

grace hopper

E as contemporâneas?

Temos mais nomes, claro, mas para não gastar todo o cartucho, vamos escolher mais duas também. A Sonia Guimarães, principal pesquisadora do Comando Geral de Tecnologia do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA). Professora de Física no ITA e do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE), em São José dos Campos. Fundadora da ONG Afrobrás e colaboradora da Universidade Zumbi dos Palmares. Guimarães também é a primeira brasileira negra a obter PhD em Física no país, ao se especializar na Inglaterra, na Universidade de Manchester, na área de Matéria Condensada. Wow! ?

sonia

Finalizo com a Camila Achutti, sócia-fundadora da Ponte21, consultoria de inovação e tecnologia. Única mulher a se formar na sua turma de Ciência de Computação da USP, que a motivou a criar o blog Mulheres na Computação, mostrando como é ser mulher num universo (até então) masculino. O blog foi um sucesso e lhe rendeu um estágio de três meses no Google, na Califórnia. Além da sua consultoria, Camila é embaixadora da Technovation Challenge Brasil, para incentivar a presença feminina na tecnologia e no empreendedorismo.

camilaFontes: Canal Tech e Wikipedia. Imagens da internet

Veja também:



marcia ceschiniMarcia Ceschini é especialista em gerenciamento de marketing, sócia e consultora de comunicação e marketing digital na Ceschini Consultoria, professora da pós-graduação nos cursos digitais do SENAC São José do Rio Preto, Ribeirão Preto e Bauru, Trevisan Escola de Negócios e Universidade do Sagrado Coração, em Bauru. Idealizadora e gestora do Papos na Rede. Contato: [email protected]



 

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *